COMPO EXPERT: mais de meio século de dedicação à nutrição vegetal

 Em Entrevistas

Nascida em 1956 em Munster, Alemanha, apenas com a comercialização de substrato em vaso para uso doméstico, a COMPO EXPERT é hoje uma referência mundial no setor agrícola profissional, indústria para a qual desenvolve produtos desde 1971.

Fertilizantes granulados, fertilizantes sólidos solúveis para fertirrigação, fertilizantes líquidos para fertirrigação, fertilizantes sólidos solúveis para aplicação foliar, fertilizantes líquidos para aplicação foliar, corretores de carências para aplicação foliar e em fertirrigação, bioestimulantes, melhorantes de solo, são alguns dos vários produtos desta empresa com origem na Alemanha mas que se tornou, nos dias de hoje, uma empresa verdadeiramente global e transversal.

Pedro Cabanita, Engenheiro Agrónomo de formação, é o Responsável pelo Marketing e Desenvolvimento de Produto da COMPO EXPERT em Portugal. Com uma vasta experiência profissional no setor da fertilização e com ligações à empresa de origem alemã desde 2010, abraçou o projeto da COMPO EXPERT em 2014, ano em que a empresa decidiu voltar a ter presença direta no mercado português, depois de ter entrado pela primeira vez em 1971. Juntamente com Joaquim Sousa, Diretor Comercial, formam a equipa Responsável pela atividade da COMPO EXPERT no mercado português.

Pedro Cabanita e Joaquim Sousa.

Que História tem a COMPO EXPERT com Portugal?

A COMPO EXPERT surgiu no mercado português há várias décadas, no tempo em que a empresa ainda era detida pelo gigante da indústria química – BASF. Após a venda do negócio da COMPO no final dos anos 90, a COMPO foi gerida durante alguns anos pelo grupo alemão K+S, líderes mundiais na produção de sal. Em 2010, a empresa decide retirar a sua representação direta e passou a ser representada em Portugal por um único distribuidor, que fazia a promoção e distribuição dos seus produtos. Em outubro de 2014, é tomada a decisão de voltar diretamente ao mercado português, constituindo uma nova equipa e abrindo uma nova rede de distribuição. Esta situação mantém-se até hoje.

Atualmente, a COMPO EXPERT faz parte do portefólio de empresas do grupo de investimento XIO, sediado em Londres, que gere um capital de mais de 3,2 mil milhões de dólares. Desde a aquisição da empresa por parte deste grupo, já foram investidos mais de € 65 milhões na remodelação da fábrica de Krefel (Alemanha) que é o principal polo de produção da COMPO EXPERT e atualmente um dos mais modernos do mundo, certificado pelas normas ISO 9001 (qualidade), ISO 14001 (ambiente) e ISO 50001 (energia).

A política da COMPO EXPERT no mercado português passa também pelo acompanhamento aos produtores, para além da simples comercialização dos produtos. De que forma este acompanhamento é importante, quer para a COMPO quer para os agricultores?

Quando se trabalha com uma gama de produtos técnica e tão inovadora como a nossa, efetivamente é importante um acompanhamento aos agricultores da nossa parte. A COMPO EXPERT aposta muito na sua rede de distribuição, razão pela qual é necessário preencher vários requisitos para poder ser um distribuidor COMPO EXPERT. Um deles é possuir pelo menos um técnico de campo, que permita fazer esse acompanhamento dos agricultores. Da nossa parte, fazemos questão de formar bem estes técnicos e, de há dois anos a esta parte, fazemos em novembro um Simpósio Agronómico de dois dias, que tem como objetivo dar formação a estas equipas. Para além desta ação, é frequente a nossa presença no campo, sozinhos ou a acompanhar estes técnicos. O acompanhamento também é feito à distância, mantendo um contacto assíduo via e-mail ou por telefone com diferentes agricultores e técnicos, que chegam até nós de diversas formas.

É desta perspetiva que resulta a aposta da COMPO EXPERT no portal Marketing Agrícola. Também fazemos vários colóquios ao longo do ano, onde apresentamos algumas sugestões a grupos de agricultores, ouvimos as suas dificuldades e tentamos, em conjunto, chegar a uma solução para os problemas. A agricultura é uma atividade exigente e de elevado risco, pelo que o contacto entre técnicos e agricultores é vantajoso também para o agricultor, que tira partido desta interação.

Fábrica da COMPO EXPERT, em Krefeld, Alemanha.

Fábrica da COMPO EXPERT, em Krefeld, Alemanha.

Centro de Investigação Agrícola da COMPO EXPERT, em Wolbeck, Alemanha.

A comercialização dos produtos da COMPO é homogénea ou, atualmente, existem algumas fileiras do setor agrícola onde a COMPO tem uma presença mais demarcada?

A COMPO EXPERT, pela gama tecnológica que tem, está mais focada nas culturas intensivas, mais suscetíveis à utilização de tecnologia em fertilização. No entanto, estamos presentes em todos os setores do mercado, que vão desde os cereais de outono/inverno, ao milho, culturas permanentes, pequenos frutos, floresta, áreas verdes, etc.

Quais os produtos da COMPO mais vendidos em Portugal?

Em termos de toneladas, os que mais se destacam são naturalmente os adubos granulados, em que a gama NovaTec®, com o inibidor da nitrificação DMPP, tem um papel de destaque. A gama Nexur®, com dois inibidores da urease (NBPT e NPPT), tem vindo a ganhar cada vez mais protagonismo ao nível das adubações de cobertura. Ao nível a fertirrigação, sem dúvida que a gama Hakaphos® ocupa um papel de destaque, sendo a COMPO EXPERT líder neste setor. O segmento dos foliares, corretores de carências, biofertilizantes e bioestimulantes, embora não representem tantas toneladas, por serem utilizados em doses mais pequenas, são muito importantes para a empresa, uma vez que estão em franco crescimento e têm sido aqueles em que a empresa tem apostado mais em novos desenvolvimentos.

A I&D é algo que a COMPO valoriza na sua comunicação corporativa. Como é feito o processo de desenvolvimento de novos produtos?

O I&D (Investigação e Desenvolvimento) faz parte do ADN da COMPO EXPERT. A empresa sempre dedicou uma grande parte do seu orçamento no desenvolvimento de novos produtos e tecnologias (o desenvolvimento da molécula DMPP – dimetil-pirazolfosfato, inibidor da nitrificação que revolucionou a fertilização, é um bom exemplo). Normalmente, o processo de desenvolvimento de um novo produto começa nos nossos campos experimentais na Alemanha (Munster), onde fica a sede da empresa. Aí, é feito um desenvolvimento primário dos vários produtos com uma série de ensaios. Depois de passar esta primeira fase, os produtos são distribuídos pelos vários polos de I&D espalhados pelo mundo, que fazem uma segunda fase de ensaios, adaptados às condições locais. Estes ensaios requerem um acompanhamento intenso, na medida em que necessitam de repetições, blocos casualizados e tratamento estatístico dos dados. Preferencialmente, estes ensaios são realizados por entidades autónomas, como Universidades ou Centros de Investigação, de forma a dar mais robustez e idoneidade aos resultados. Por último, fazemos campos de demonstração, em que experimentamos as nossas soluções no campo dos agricultores, de forma a demonstrar os resultados in loco.

O que diferencia os fertilizantes da COMPO dos restantes produtos concorrentes no mercado?

A COMPO EXPERT tem um vasto catálogo de produtos, com soluções para praticamente todas as situações com que um agricultor se possa deparar (adubos revestidos, de libertação lenta, com inibidores da nitrificação e da urease, microgranulados, com Bacillus, com Eklonia maxima, entre outros). Entre todos os produtos, existe um nível de exigência de qualidade elevado, que começa na escolha das matérias primas utilizadas e no método de fabrico, durante o qual são utilizadas diferentes tecnologias, que vão dar características específicas a vários produtos.

Por ter fábricas próprias, a COMPO EXPERT pode controlar todo o processo de produção, assegurando a qualidade em todos os passos até ao produto final. Assim, as duas palavras que considero melhor definirem a gama da COMPO EXPERT são qualidade e confiança, expressões que são transmitidas pelos agricultores e técnicos que já contactaram com estes produtos. Com base nestes pressupostos, procuramos a solução com a tecnologia mais adequada para cada situação, de forma a melhorar a produção e qualidade dos agricultores, melhorando o seu rendimento: o objetivo de todos os empresários agrícolas.

Qual a visão da COMPO para o médio e longo prazo?

Num mundo em crescimento, em que a população vai passar de perto de 7 mil milhões de pessoas para mais de 9 mil milhões em 2050, temos que continuar a apostar em níveis elevados de produção, com uma grande eficiência, de forma a gerar o mínimo impacto ambiental possível. Mantendo a sua linha orientadora de há vários anos a esta parte, a COMPO EXPERT vai continuar a investir boa parte do seu orçamento na investigação de novos produtos para satisfazer as necessidades do mercado.

Neste sentido, podemos destacar o lançamento e consolidação do Nexur®, produto com dois inibidores da urease (NBPT e NPPT), cujos resultados no campo – aumentando muito a eficiência (e diminuindo a contaminação ambiental) – tem gerado grande entusiasmo. Também é importante referir a continuação do desenvolvimento da linha de biofertilizantes, que incorporam Bacillus (gama Fertilis® por exemplo) que acrescentam vantagens face aos fertilizantes “convencionais”. Haverá um alargamento do número de produtos com possibilidade de utilização em Agricultura Biológica e vamos manter a aposta em melhorantes do solo, sejam humectantes (Kamasol® Aqua), produtos com ácidos húmicos e fúlvicos (Kamasol® Black), produtos que ajudam as plantas a sobreviver melhor a episódios de stress, (Basfoliar® Avant Natur, Basfoliar® Kelp, Basfoliar® Forte, …) e outros que estão para sair para o mercado. O catálogo já bastante extenso, está em constante evolução, o que mostra bem o dinamismo da empresa.

Numa vertente diferente, a empresa tem evoluído muito ao nível das novas tecnologias e formas de comunicação, acompanhando também a sociedade atual neste sentido. O ritmo de crescimento verificado desde o regresso da COMPO EXPERT diretamente a Portugal em 2014 tem sido bastante elevado, havendo previsões de manter este crescimento nos próximos anos.

Como vê a evolução da agricultura em Portugal? Quais são na sua opinião as culturas de “futuro” no nosso mercado?

Portugal tem mostrado uma grande dinâmica no setor agrícola, que tem sido uma das alavancas para sair da crise. A agricultura no nosso país é cada vez mais profissional, e a tendência será para a diminuição do número de explorações e aumento da área média das mesmas, algo que já se verificou nas últimas décadas.

Temos condições muito boas para a produção de muitas culturas, mas o sucesso e insucesso da agricultura está muito relacionado com a comercialização dos produtos. O crescimento deste setor de atividade teve muito a ver com a procura de novos mercados, que permitiu escoar a produção, daí ser difícil dizer exatamente quais serão as culturas de futuro. Em princípio poderão ser todas, porque o nosso país, embora pequeno, tem uma grande diversidade de condições climáticas. É uma questão de adaptar a cultura certa a cada zona do país e manter a procura constante por novos mercados, a exemplo do que aconteceu com a vinha, o olival e a fruticultura, por exemplo.

A mostrar 2 comentários

Deixe o seu comentário

Comece a escrever e pressione "Enter" para mostrar os resultados