Nova PAC: contribuição dos Estados Membros deve aumentar 1%

 Em Notícias

A Comissão Europeia deverá apresentar a nova Política Agrícola Comum (PAC) “em novembro”. E tudo indica que a saída do Reino Unido da UE leve a um aumento de 1% da contribuição dos Estados-membros para o orçamento da nova PAC.

O Comissário Europeu da Agricultura, Phil Hogan, que falava num encontro com jornalistas durante o Conselho informal de ministros na capital de Estónia deixou claro que o Brexit deixará “uma lacuna” no orçamento europeu “um buraco que há que preencher”. “Estamos conscientes de que se eles saírem, não darão mais dinheiro, a menos que desejam fazer parte de alguns programas”, disse o comissário, que lembrou que a contribuição total do Reino Unido para o orçamento europeu é de 12 mil milhões de euros por ano.

Acordo com Reino Unido em dezembro

Phil Hogan espera que no próximo Conselho Europeu, em dezembro, onde os chefes de Estado e de governo da UE se encontram, se “saberá mais sobre o acordo económico” com o Reino Unido. “Temos que encontrar um mecanismo para preencher essa lacuna se quisermos continuar com os programas existentes para os 27 Estados-membros que permanecerão”, na UE disse Hogan, que levantou a possibilidade de aumentar a contribuição dos países em 1% para a nova PAC.

A agenda agrícola será também marcada pelas negociações do acordo comercial da UE com os países do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai), que se espera fechar antes do final do ano. Para atingir esse objetivo, Hogan espera que os dois blocos apresentem as suas condições de troca de bens em outubro.

Ler aqui.

Deixe o seu comentário

Comece a escrever e pressione "Enter" para mostrar os resultados