Produção e Comercialização de Noz

 Em Artigos Técnicos & Comerciais, Floresta

A nogueira (Juglans regia L.) foi introduzida na Europa pelos Romanos, tendo a sua origem no Sudoeste Asiático e Mediterrâneo Oriental. Atualmente, a nível mundial, os maiores produtores de noz são a China, a Índia, a Turquia, o Irão, os EUA, a Itália e a França.

O cultivo da noz em Portugal encontra-se disperso um pouco por todo o país. Os pomares ordenados assumem maior importância nas regiões de Trás-os-Montes – Bragança e Mirandela, Beira Litoral – Condeixa, Penela e Miranda do Corvo, Alentejo – Estremoz, Arraiolos, Portalegre, Castelo de Vide e Marvão – e Ribatejo e Oeste.

Em Portugal, a área de cultura é superior a 3150 hectares e a produção anual ultrapassa as 4500 toneladas. Nos concelhos de Estremoz e Arraiolos, no Alentejo, obtêm-se as maiores produtividades do país, em muito devido à natureza dos pomares, na sua maioria bem implantados e com técnicas de condução bem adequadas.

A produção de noz apresenta diversas variedades cultivadas, que geralmente se reproduzem por enxertia: Franquette, Hartley, Mayette, Chandler, Lara, Frenor e Howard.

Produção

Para a produção, é essencial assegurar que o clima e local escolhidos são adequados para plantar nogueiras. Segundo os especialistas nesta cultura, o solo ideal deve ter boa drenagem e ter um pH ligeiramente ácido – entre os 4,5 e os 6,5. Uma ligeira inclinação do solo pode proporcionar condições ideais, porém, uma inclinação excessiva não é indicada, sobretudo devido à dificuldade acrescida na colheita. Deverá também ter-se em conta quais as variedades mais indicadas e melhor preparadas para o clima e características do solo. A plantação pode ser feita também através da colocação da semente ou adquirir uma árvore com um ou dois anos adquirida em viveiro. A cultura da nogueira é um investimento possível ao abrigo dos incentivos PDR.

As nogueiras são árvores esteticamente apelativas, e cuja plantação é tradicionalmente mais forte no Norte do país. A árvore atinge dimensões consideráveis, podendo ser uma ótima fonte de sombra em qualquer espaço, com a vantagem adicional de, ao fim de alguns anos, começar a produzir os seus apreciados e saudáveis frutos.

Mobilização do Solo, Rega, Tratamentos e Fertilização

É aconselhável nos primeiros 4 anos de produção efetuar mobilização do terreno, ajudando-o assim a mantê-lo livre de infestantes e favorecendo o enraizamento. Após este período, é recomendável aplicar herbicida nas linhas, e deixar o enrelvamento espontâneo nas entrelinhas, devendo ser cortado quando se considerar necessário, através da utilização de máquinas apropriadas, deixando no próprio local os desperdícios que, juntamente com os ramos mais finos das podas, constituem uma boa matéria orgânica. Este processo limita a erosão, enriquece o solo, facilita a retenção da água das chuvas e a sua infiltração e a circulação das máquinas.

producao e comercialização de noz

A rega é obviamente um aspeto fundamental para o desenvolvimento das árvores, aumento da produção e qualidade das nozes, merecendo assim uma atenção especial. Apesar de ser um elemento fundamental, o excesso de água provoca a morte das árvores. O período de maior necessidade é o mês de junho e julho, diminuindo até 10 dias antes da recolha, altura em que se deve parar.

Os tratamentos fitossanitários devem ser considerados caso a caso e efetuados atempadamente. Estes deverão incidir sobre a bacteriose, a antracnose, o bichado, a broca, e ainda piolhos ou ácaros.

A fertilização é importante numa perspetiva profissional, potenciando a produção e a qualidade e, para satisfazer as necessidades das cultura, é necessário adoptar uma estratégia de fertilização desde o início da cultura, aplicando os produtos certos, na altura certa. Para tomar as melhores decisões, é importante ter o máximo de informações possível (análises completas de água, solo e folhas, entre outras)  e consultar especialistas em fertilização, como a COMPO EXPERT.

Comercialização

Num ano de colheita bom, uma árvore de copa grande pode produzir até 150 kg de nozes. Após colhidas, as nozes são lavadas e espalhadas em tabuleiros com lamelas separadas no fundo, não devendo ser expostas ao sol o dia inteiro. Se secarem muito rápido, a casca parte e abre.

Em pomares de grande dimensão, existem instalações próprias para a secagem das nozes. Depois de secas, as nozes são avaliadas e embaladas, podendo comercializar-se com ou sem casca.

Em Portugal, a época de comercialização efetua-se desde meados de setembro a meados de janeiro. A noz nacional tem boa procura, devido á qualidade intrínseca que possui, pelo que o seu escoamento se processa com relativa facilidade ao longo da campanha. Cerca de 50% da noz destina-se às grandes superfícies de venda, 10% aos mercados grossistas regionais e 40% aos retalhistas e confeitarias. Os intermediários, que funcionam com ajuntadores, ainda têm representatividade em algumas regiões. Os preços mantêm-se constantes ao longo da campanha de comercialização.

A balança comercial de Portugal na comercialização de noz é deficitária, mas sem grandes variações ao longo dos últimos anos. As vendas ao exterior são reduzidas e destinam-se a Espanha e aos PALOP. França é o maior fornecedor de noz sem casca, seguida pelo Chile e por Espanha. A noz sem casca é importada maioritariamente do Chile, Espanha, França e Índia.

O fruto

A noz detém uma casca muito rija e enrugada, com o interior dividido parcialmente em duas ou quatro células. Trata-se de um alimento muito nutritivo, com um alto valor calórico, atingindo as 700 kcal/100g) e entre as vitaminas presentes, as mais importantes são as do grupo B e o ácido fólico. A noz é a oleaginosa mais rica em cobre e zinco, rica em ácido linoleico e com valores interessantes de potássio, magnésio, sódio, fósforo, enxofre, ferro e cálcio. A nível medicinal, tem um efeito anti-helmíntico, adstringente, bactericida, depurativo, detergente, digestivo, diurético, hemostático, inseticida, laxativo, tónico e vermífugo.

As nozes, de sabor agradável e ricas em óleo, consomem-se diretamente ao natural ou na confeção de pratos, molhos e sobremesas ou são espremidas para obter o óleo de noz, que se utiliza como óleo alimentar, como combustível ou como base de determinadas pinturas.

Mais info: Omaiaa | Nozes e Nogueiras | Plubee

Logo-compo_transp_V2

Especialistas em Nutrição Vegetal.

A mostrar 4 comentários
  • Paulo Jorge Martins Almeida

    Boa noite estou a pensar começar a plantar nogueiras nuns terrenos que tenho na zona da Pampilhosa da Serra, quanto custa cada arvore e como devo começar, quantos leva até as arvores começarem a produzir frutos?

  • Ana Gonçalves

    Boa tarde tenho a mesma questão..

  • Filomena Pereira

    Bom dia gostaria de saber se me pode fornecer nozes para os Açores ponta Delgada .
    Obrigada
    Fico aguardar atenciosamente

  • José Luís Pereira

    Bom e interessante artigo.

    Exma Filomena Pereira,
    Pode enviar um email para info@frutosdevettonia.com e receberá uma cotação das melhores nozes

    http://www.frutosdevettonia.com

Deixe o seu comentário

Comece a escrever e pressione "Enter" para mostrar os resultados

Doenças no Mirtilo: a primavera como fator de risco