Investir em Marketing e Publicidade vale a pena?

 In Marketing & Comunicação

Quem não é visto, não é… conhecido. A aposta em marketing e publicidade é uma necessidade para a esmagadora maioria das empresas no mercado (ainda que muitas não o tenham ainda percebido), e os setores agrícola e alimentar não fogem à regra.

Saber escolher, ponderar e investir com assertividade é essencial para se ter retorno na atividade das empresas, e o investimento em marketing, comunicação e publicidade não foge à regra. E esta afirmação é mais verdade quanto mais especializada for a atividade da empresa e o mercado em que atua.

Quem eu quero que me veja?

Salvo raras exceções, justificadas maioritariamente por empresas de (muito) grande dimensão, que apostam na publicidade de forma institucional, com a intenção de se darem a conhecer à sociedade em geral, as empresas devem tender a segmentar os canais onde anunciam, sob pena de estarem a desperdiçar bastantes recursos para aparecerem a quem não irá nunca adquirir um produto/serviço seu. Por exemplo, uma empresa de consultoria agrícola, ao investir numa publicidade num canal de televisão ou num jornal generalista, irá possivelmente ter potenciais clientes entre os seus telespetadores/leitores destes canais, porém, a percentagem de potenciais clientes entre a globalidade dos telespetadores/leitores é muito reduzida, mas a empresa está a pagar pela audiência total do meio de comunicação, ou seja, paga muito para interessar a poucos.

Em condições normais, uma empresa deve procurar investir em marketing e publicidade em canais especializados, que reúnam e concentrem utilizadores com ligações diretas ou indiretas à sua área de negócio, de forma a rentabilizar o retorno do investimento, e a fazer com que a empresa pague apenas por uma audiência que cujos interesses vão de encontro às soluções providenciadas pela empresa.

Medir o Retorno do Investimento

Quando procura escolher onde investir, é importante optar por um modelo que permita medir e quantificar o alcance do investimento, de forma a poder verificar e avaliar se o seu investimento traz, de facto, retorno. Porém, chegar a muita gente pode não ser assim tão bom, é muito mais significativo chegar ao seu público-alvo, a utilizadores que sejam potenciais clientes. Esta é uma das variáveis que ajudará a avaliar melhor o retorno do investimento.

Onde investir?

Existem variados meios de comunicação onde é possível efetuar publicidade: meios próprios, eventos, meios de comunicação, outdoors, campanhas de ativação, Redes Sociais, etc. Neste artigo, focaremos os meios de comunicação online, apresentando alguns conselhos para uma melhor tomada de decisão.

Meios Próprios

O website e os restantes meios da empresa (como por exemplo, as Redes Sociais), são o primeiro e “obrigatório” canal onde a empresa deve investir, no que ao marketing diz respeito, por várias razões: produz conteúdos originais, gerando credibilidade junto do público-alvo, sendo que os conteúdos poderão até ser replicados por outras instituições, ajudando a publicitar de forma indireta a empresa. Neste caso, a comunicação é dirigida a potenciais clientes da empresa, que à partida já estão familiarizados com a empresa/produtos, tornando os esforços de marketing assertivos e com maior taxa de conversão de clientes.

Porém, apostar de forma eficiente numa estratégia de Marketing & Comunicação não sai… barato. São tarefas que exigem tempo, recursos e conhecimento. A forma mais rentável talvez seja a subcontratação de agências/freelancers especializados em marketing, design, comunicação, permitindo às empresas terem mais (conhecimento, experiência e saber-fazer) com menos (dinheiro), ao invés de investir em recursos próprios, que saem, no final das contas, bem mais caros.

Canais Externos

A escolha da(s) plataforma(s) é um passo importante para um investimento eficiente em publicidade e é necessário ter em conta vários aspetos, tais como:

– Volume da Visitantes
– Tipo de Público da Plataforma
– Posicionamento dos Conteúdos
– Tempo de Exposição/Validade da Plataforma
– Obtenção de Informação sobre o alcance/visualizações dos conteúdos do anunciante

Antes de mais, é fundamental a plataforma reunir um número interessante de utilizadores/visitantes/subscritores, de forma a garantir visibilidade aos conteúdos publicados pela empresa, porém, mais importante do que isto, é o perfil da audiência da plataforma.

Por exemplo, a plataforma X, que reúne 10.000 visitantes/subscritores mensais é mais vantajosa para a minha empresa do que a Y, que reúne 2.000 no mesmo período, correto?

A resposta não é assim tão simples. Se, de todo o público da plataforma X, apenas 5% se interessar pelo produto/serviço que está a vender, e se os 2.000 da plataforma Y forem profissionais do setor agrícola e indústria alimentar, e metade deles tiverem interesse direto ou indireto no seu produto/serviço, estamos a falar de 500 potenciais interessados contra 1.000, e o grande obstáculo aqui é que a plataforma X irá cobrar pelos 10.000, e não pelos 500 que lhe interessa atingir, ao passo que a plataforma Y cobrar-lhe-á sobre os 2.000, ou seja, o rácio de investimento/conversão é muito superior ao optar pela Y.

Converter Publicidade em Vendas

A apresentação dos conteúdos é também muito importante. Salvo (muito) raras exceções, o posicionamento e a envolvência são cruciais para converter a publicidade em vendas. Se o conteúdo publicitário aparecer junto a temas relacionados com a atividade da empresa, o grau de interesse dos utilizadores será potencialmente maior, assim como a respetiva conversão.

Outro aspeto relevante é o tempo de exposição do conteúdo. Se uma empresa anuncia, por exemplo, numa revista, a validade da sua comunicação tem o pico de audiência no momento da saída da revista, decrescendo a sua visibilidade de forma cronológica, até que passa a praticamente nula quando sai a edição seguinte, ou por exemplo, no caso de um website com 10.000 utilizadores mensais, a colocação de um banner por 15 dias pressupõe, em teoria, que o mesmo chegará a um universo de cerca de metade desses subscritores.

É importante ter uma presença perene, pois um potencial cliente poderá não demonstrar interesse na primeira vez que estabelece contacto com a empresa, mas sim num segundo, terceiro (ou até mesmo décimo!) momento em que estabelece contacto com ela.

Publicitar, Medir, Melhorar

O acesso a relatórios com o alcance dos conteúdos (número de visualizações de um determinado anúncio) é uma grande vantagem para as empresas anunciantes: primeiro, possibilitam medir o alcance das publicações dos conteúdos e rentabilidade do investimento e, depois, permitem evoluir na comunicação, através da análise ao tipo de conteúdos que geram maior interesse e atraem mais potenciais clientes, otimizando a comunicação.

Encontrar Soluções

Numa altura em que o paradigma do comportamento humano se alterou, e onde o papel deixou de ter “valor comercial”, os meios de comunicação online apresentam-se hoje como a ferramenta de marketing que, à partida, permite obter melhores resultados a um custo mais baixo para as empresas.

Neste sentido, o Marketing Agrícola lançou, recentemente, um plano de comunicação para as empresas, com um modelo diferenciado, que reúne um conjunto de pressupostos, desde o posicionamento estratégico dos conteúdos ao envio de relatórios, com o objetivo de fornecer às empresas uma plataforma realmente eficiente, aumentando assim o grau de exigência no mercado do marketing e publicidade no setor agrícola e alimentar.

O investimento em Marketing e Publicidade deve ser encarado de forma séria e exigente pelas empresas. Tal como o fazem quando investem num recurso qualificado, numa máquina ou numa aplicação financeira: numa perspetiva de obter retorno, e não por hábito, “tradição” ou… porque sim!

 

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search

Criatividade de produtor de melancia ajuda consumidor a transportar este (grande) fruto