Koppert inova com novo formato para ácaros predadores

 In Artigos Técnicos & Comerciais, Fruticultura, Horticultura

Devido aos bons resultados obtidos com as largadas de A. Swirskii na Região espanhola de Almería, os produtores praticamente deixaram de aplicar pesticidas contra tripes e mosca-branca em algumas culturas hortícolas, tais como pepinos e pimentos, permitindo a introdução de outras espécies de predadores e parasitóides para combater outras pragas.

O crescente aumento de agricultores que utilizam auxiliares para controlar pragas deve-se não só ao aumento do número de espécies de predadores disponíveis comercialmente, mas também ao desenvolvimento do mercado e das suas exigências.

ultimite-caixaUm bom exemplo disto é a chamada “Revolução Verde de Almería”, em Espanha, região de grande importância hortícola, com a introdução do ácaro predador Amblyseius swirskii.

Devido aos bons resultados obtidos com as largadas de A. swirskii, os produtores praticamente deixaram de aplicar pesticidas contra tripes e mosca-branca em pepinos e pimentos, o que por sua vez permitiu a introdução de outras espécies de predadores e parasitóides contra outras pragas. O resultado é uma horticultura cada vez mais ecológica e com menor recurso a pesticidas.

No entanto, ainda existem alguns fatores que dificultam a decisão do agricultor em utilizar estratégias mais ecológicas no combate às pragas. O desconhecimento das pragas, bem como dos organismos auxiliares, é talvez o maior, seguido de questões relacionadas com os custos e aplicação dos auxiliares em si.

Há já alguns anos, a Koppert revolucionou a aplicação de auxiliares com a criação do formato saqueta.
Este formato encontra-se disponível para 3 espécies de predadores; SPICAL-PLUS (Neoseiulus californicus), THRIPEX-PLUS (Neoseiulus cucumeris) e SWIRSKI-MITE PLUS (A. swirskii) As saquetas contêm o ácaro predador, um ácaro alimento (Carpoglyphus lactis) e um substrato (farelo de cereal).
No farelo de cereal cresce um fungo do qual C. lactis se alimenta e este, por sua vez, alimenta o predador no interior da saqueta.

As saquetas atuam como um pequeno viveiro, no interior do qual o predador se pode reproduzir durante algumas semanas.

A poupança de tempo de aplicação e a maior eficácia deste formato facilitou a distribuição de auxiliares na horticultura e floricultura, permitindo que mais agricultores recorressem à luta biológica.

Este ano a Koppert acaba de revolucionar novamente o setor, desta vez alterando as próprias saquetas.

Nova Saqueta de material impermeável e biodegradável

A Koppert acaba de lançar o novo produto SWIRSKI-MITE ULTIMITE que se trata do ácaro predador Amblyseius swirskii numa nova saqueta de material impermeável e biodegradável, reduzindo substancialmente a perda de humidade da saqueta. Desta forma, maximiza-se o rendimento de cada saqueta, traduzindo-se numa maior produção de predadores comparativamente às saquetas anteriores.

Estas saquetas abrem também a possibilidade da sua utilização em culturas de ar livre como as fruteiras, uma vez que aqui a baixa humidade é um fator limitante. Os primeiros resultados em horticultura (pimentos e pepinos) e floricultura têm sido muito positivos, com o SWIRSKI-MITE ULTIMITE a controlar tripes e mosca-branca.
Produtores que habitualmente fazem largadas de A. swirskii têm relatado que, com as novas saquetas, é possível ver maior quantidade de ácaros predadores nas plantas.

Para mais informações, contacte: Gonçalo Duarte – 938328316 | gduarte@koppert.es
Mais sobre a Koppert: www.koppert.com
Siga a Koppert Portugal no Facebook em facebook.com/Koppert.Pt

14947919_196003584139216_5581683829843400386_n

 

 

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search

Cientistas criam abelha robótica capaz de polinizar