O Cultivo do Arroz

 In Artigos Técnicos & Comerciais, Cereais

O arroz (Oryza sativa L.) é o 2° cereal mais cultivado e consumido em todo o mundo, atrás do trigo, sendo a base da alimentação de mais de metade da população mundial e também considerado o mais importante, tendo em conta a extensão de superfície cultivada e a quantidade de população que depende da sua colheita para a alimentação diária.

A Índia é o país do mundo com maior área cultivada de arroz, com 44 milhões de hectares cultivados, antes da China, com 30 milhões de hectares. Seguem-se a Indonésia, com 13, o Bangladesh e a Tailândia, ambos com 12 milhões de hectares. Curiosamente, a Índia, apesar de deter maior área, tem uma produção anual menor do que a China, 156 milhões contra os 200 milhões produzidos pelo gigante asiático.

Portugal tem atualmente uma área de cerca de 30.000 hectares, produzindo aproximadamente 180.000 toneladas de arroz paddy (casca) por ano, o que representa cerca de metade do consumo interno. Temos o maior consumo per capita da Europa, com 16 kg por ano, o que representa cerca de 3 vezes do que a média europeia. A área de produção divide-se maioritariamente pelos Vales do do Tejo e Sorraia (14.000 ha), Sado, com 9.000 hectares, e Mondego, com 6.000 ha.

Produção e Produtividade

A produtividade média no mundo de arroz tem vindo a registar um crescimento gradual, passando das 3,89 t/ha no ano 2000, para as 4,40 t/ha em 2011.

Na UE, produzem-se cerca de 3 milhões de toneladas de arroz paddy (em casca) por ano, numa área de 466.000 ha, com uma produtividade média de 6,4 t/ha, um valor acima da média mundial.

O arroz é a base da alimentação e a principal fonte energética de mais de metade da população mundial. É normalmente consumido após a operação de descasque e “branqueamento”, que consiste na extração, por meios mecânicos, da casca e película do arroz que, contudo, faz com que este cereal perca grande parte do seu valor nutritivo, minerais e vitaminas. Com uma cozedura sob pressão antes do processo de branqueamento, que concentra os nutrientes no centro do grão, é possível aumentar o seu valor nutritivo, segundo defendem alguns agentes ligados ao setor, ainda que este não seja para já um método consensual.

Arroz Carolino ganha relevo

Em Portugal, a produção e consumo do arroz carolino tem crescido significativamente, em detrimento sobretudo do arroz agulha. Nos últimos anos, assistiu-se a um aumento de mais de 30% da área de cultivo do arroz carolino em Portugal, e uma queda proporcional por parte do arroz agulha. A área de produção do tipo carolino ultrapassa os 70% da área total de produção de arroz em Portugal.

Portugal não é autossuficiente em arroz, produzindo menos do que consome. Do arroz importado (cerca de 80.000 toneladas), a grande maioria é arroz do tipo agulha.

Métodos de Produção

O arroz é cultivado em condições de regadio em Portugal. As explorações agrícolas costumam caracterizar-se por um tamanho médio a grande, com muita mecanização, embora haja ainda pequenos produtores que continuam a empregar as tradicionais técnicas de cultivo. O método mais popular é o da sementeira nos canteiros em seco. A utilização de fertilizantes e outros produtos fitossanitários para a proteção das culturas está amplamente divulgada.

Para ser bem sucedida, a produção de arroz por colheita depende, em Portugal, da temperatura, que pode afetar a planta se for extremamente baixa, a água disponível, que determina a superfície que pode ser semeada e que influencia o aparecimento de possíveis doenças, e a quantidade de radiação solar que os arrozais recebem.

Fonte: Iniav | Novarroz.

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search

Acidentes com Tratores Agrícolas e Florestais: causas e prevençãoProdução e Comercialização de Pinhão