Produção de Plantas Aromáticas e Medicinais

 In Artigos Técnicos & Comerciais, Horticultura

As plantas aromáticas e medicinais cada vez têm chamado mais a atenção do mercado, essencialmente devido à valorização crescente da sociedade para os benefícios destas culturas e consequentemente o maior interesse de várias indústrias para a comercialização destas plantas, em diferentes formatos.

Para iniciar a produção é necessário, antes de mais, efetuar um levantamento preciso das poluições nas plantas e nos solos, realizar um inventário das plantas espontâneas e encomendar um estudo da qualidade dos solos. Saber com que equipa, material e edifícios/estruturas se dispõe no curto e médio prazo é também uma informação preciosa na instalação de um projeto de produção de plantas aromáticas e medicinais.

Para determinar o número de hectares consagrados à produção de plantas medicinais, temos que considerar a valorização do produto. Se a estratégia do produtor passa por transformar e valorizar toda a produção autonomamente, a instalação pode ser efetuada em áreas mais pequenas. Comumente, o produtor pode optar por três estratégias diferentes:

Colher e comercializar de forma autónoma; contratualizar com um projeto de desenvolvimento e acompanhamento técnico; ou passar diretamente à escala industrial.

Implementação do Projeto

Na implementação do projeto, existem vários aspetos a ter em conta, nomeadamente a área de produção e as características do solo, preferencialmente, para a produção de plantas aromáticas e medicinais, deverá ser uma terra argila-calcária. A certificação da área de produção pode ser também uma mais-valia, tornando maiores as margens comerciais e permite reduzir a concorrência direta.

Outro aspeto a reter aquando da implementação é ter já acordado e programado o escoamento para todas as qualidades (como por exemplo a produção de óleos essenciais para a valorização dos volumes menos qualitativos ou as plantas aromáticas e medicinais com menor qualidade podem servir para outros fins). Uma outra vantagem será constituir agrupamentos de produtores com interesses económicos comuns para a comercialização da produção junto dos grandes players do mercado.

Na produção de plantas aromáticas e medicinais, é muito importante a qualificação dos operadores, pelo que a aposta na formação pode ser um aspeto chave no sucesso do projeto. A mecanização desempenha um papel importante, quer na economia de tempo, quer na otimização da produção: quanto mais autónoma for a exploração, melhor será para o produtor. Sempre que possível, o produtor deverá possuir os seus próprios equipamentos.

Procura e Oportunidades Crescentes

Existe ainda muito espaço para a produção de plantas aromáticas e medicinais. Veja-se, a título de exemplo, o consumo crescente das tisanas: assistimos a uma tendência de ir para o que é natural e biológico. A produção é bastante fácil, tratam-se de plantas rusticas, que depois é necessário conseguir escoar no mercado, que pode ser feito sob diferentes formas, e existem numerosas saídas que ainda devem ser criadas.

As oportunidades existem, e são cada vez mais valorizadas as produções locais. Para permitir assegurar uma produção exclusivamente biológica de alta qualidade, constante e diversificada, os produtores portugueses devem criar, manter e ter acesso a informações específicas em termos de custos de produção, de técnicas culturais, de controlo dos devastadores, de secagem, de acondicionamento, de transformação, etc.

Por: Judith de Oliveira, Business Development na Naturimprove; tel: + 351 91 961 0770 | email: judithdeoliveira@gmail.com

Comments
  • ALCIDIO DE OLIVEIRA

    Tenho solo a mais, tem as características requeridas, nomeadamente para a lavândula e par o alecrim, e agora?

    Não tenho a tecnologia para a produção os óleos essenciais, ainda que seja relativamente acessível, não tenho plantações para além de uns míseros 2000 pés de lavândula dentata que prospera…
    Ainda que detenha condições idafo climáticas adequadas, dezenas de hectares de terra, equipamento agrícola, onde está esse famoso mercado que me permita, com alguma segurança, investir?

    Por outro lado não encontro estudos fiáveis acerca da rentabilidade destas culturas. Um hectare de lavândula dentata rende quanto?

    Eis porque a agricultura tem sido um dos meus maiores encargos.
    Cumprimentos

Leave a Comment

Start typing and press Enter to search

Doença do lenho da videira: escoriose europeiaJornadas “Tomate Indústria Syngenta” apresentaram novas soluções para proteção da cultura